sábado, 13 de março de 2010

O trabalho infantil durante a Revolução Industrial

Fonte: http://veja.abril.com.br/140508/p_135.shtml

Uma das práticas mais comuns no início da Revolução Industrial era recrutar mão-de-obra infantil nos orfanatos. As crianças órfãs eram levadas para as fábricas, onde passavam a viver, e eram exploradas em jornadas de trabalho de até 15 horas diárias.
"Perante uma comissão do Parlamento em 1816, o Sr. John Moss, antigo capataz de aprendizes numa fábrica de tecidos de algodão, prestou o seguinte depoimento sobre as crianças obrigadas ao trabalho fabril:
'Eram aprendizes órfãos? - Todos os aprendizes órfãos.
'E com que idade eram admitidos? - Os que vinham de Londres tinham entre 7 e 11 anos. Os que vinham de Liverpool tinham de 8 a 15 anos.
'Até que idade eram aprendizes? - Até os 21 anos.
'Qual o horário de trabalho? - De 5 da manhã até as 8 da noite.
'Quinze horas diárias era um horário normal? - Sim.
'Quando as fábricas paravam para reparos ou falta de algodão, tinham as crianças, posteriormente, de trabalhar mais para recuperar o tempo parado? - Sim.
'As crianças ficavam de pé ou sentadas para trabalhar? - De pé.
'Durante todo o tempo? - Sim.
'Havia cadeiras na fábrica? - Não. Encontrei com freqüência crianças pelo chão, muito depois da hora em que deveriam estar dormindo.
'Havia acidentes nas máquinas com as crianças? - “Muito freqüentemente.”

Fonte: http://historiacest.blogspot.com/2008/07/o-trabalho-infantil-uma-das-prticas.html

7 comentários: